Alimentação ajuda melhorar rendimento de um ciclista?

Alimentação e rendimento estão diretamente relacionados, uma alimentação e nutrição adequada promove a otimização do rendimento do ciclista.

Os esportes de alto rendimento promovem um gasto energético acentuado durante um longo período, além de perda de água, sais minerais através do suor e um aumento da produção de radicais livres.

Quando a alimentação não é balanceada surgem problemas como câimbras, queda da imunidade, baixo rendimento e fadiga. Para uma boa recuperação e rendimento é necessário uma alimentação adequada antes, durante e após treino, levando em consideração: sexo, idade, peso, altura composição corporal , aptidão física , estado nutricional e modalidade esportiva.

A dieta ideal é que contemple nutrientes necessários para um bom funcionamento do organismo, que proporcionem energia vital tanto no repouso como na atividade física.
Uma nutrição adequada promove:
– Redução da fadiga e tempo de recuperação
– Redução de lesões
– Otimização dos depósitos de energia A dieta deve ser planejada conforme a intensidade e duração do exercício. O sistema energético aeróbio é utilizado em
atividades de longa duração e baixa intensidade, que possui como fonte energética o glicogênio (muscular e hepático), a glicose, os triglicérides (muscular e tecido adiposo), ácidos graxos livres, além de aminoácidos e proteína muscular. O anaeróbio predomina nas atividades de curta duração e alta intensidade, que exigem um rápido fornecimento energético; proporcionado pelos fosfatos de alta energia, ATP, creatina fosfato (CP), armazenados nos músculos que está sendo exercitado.
Aspectos nutricionais importantes:
1 – Refeição antes do exercício: Ajuda a manter os níveis de glicemia (energia) para os músculos envolvidos no exercício durante o treinamento e competição; evita a fome durante o exercício e melhora a performance.
2 – É importante nunca treinar em jejum;
3 – De preferência não ingira alimentos novos (nunca consumidos anteriormente);
4 – Faça uma refeição de 2 a 3 horas antes, priorizando carboidratos complexos: o consumo deve ser moderado de proteínas e pobre consumo em gorduras (frituras, carnes, queijos gordurosos e presunto por exemplo): digestão mais lenta podendo
causar desconforto gástrico e distenção abdominal;
5 – Hidratação durante o exercício: Evita a desidratação, a queda de performance e fornece energia para os músculos que estão sendo acionados no exercício. A correta hidratação visa a reposição de água e o balanço de eletrólitos (principalmente sódio e potássio). A reposição hídrica não se faz com volume e sim com frequência de ingestão de líquidos, portanto deve-se iniciar a hidratação bem antes do inicio do treino e/ou competição.
6 – A função da refeição após treino é o reabastecimento dos músculos para o próximo evento ou competição.
7 – Os músculos se recuperam mais facilmente durante os primeiros 30 minutos: Neste período se não conseguir ingerir alimentos sólidos ou se não houver disponível, procure beber 2 a 3 copos de soro caseiro ou de isotônico, ou se possível suco de frutas e barras energéticas.
8 – Faça refeições pequenas após 2 a 3 horas: consuma carboidratos, proteínas, frutas e continue se hidratando.
Boa alimentação, treinamento e descanso são a tríade para sucesso! Pense nisso!
Sugestão da Nutricionista Clique Aqui!

Claudia Safian
Nutricionista CRN2 8212