Alimentação e rendimento estão diretamente relacionados, uma alimentação e nutrição adequada promove a otimização do rendimento do ciclista.

Os esportes de alto rendimento promovem um gasto energético acentuado durante um longo período, além de perda de água, sais minerais através do suor e um aumento da produção de radicais livres.

Quando a alimentação não é balanceada surgem problemas como câimbras, queda da imunidade, baixo rendimento e fadiga. Para uma boa recuperação e rendimento é necessário uma alimentação adequada antes, durante e após treino, levando em consideração: sexo, idade, peso, altura composição corporal , aptidão física , estado nutricional e modalidade esportiva.

A dieta ideal é que contemple nutrientes necessários para um bom funcionamento do organismo, que proporcionem energia vital tanto no repouso como na atividade física.
Uma nutrição adequada promove:
– Redução da fadiga e tempo de recuperação
– Redução de lesões
– Otimização dos depósitos de energia A dieta deve ser planejada conforme a intensidade e duração do exercício. O sistema energético aeróbio é utilizado em
atividades de longa duração e baixa intensidade, que possui como fonte energética o glicogênio (muscular e hepático), a glicose, os triglicérides (muscular e tecido adiposo), ácidos graxos livres, além de aminoácidos e proteína muscular. O anaeróbio predomina nas atividades de curta duração e alta intensidade, que exigem um rápido fornecimento energético; proporcionado pelos fosfatos de alta energia, ATP, creatina fosfato (CP), armazenados nos músculos que está sendo exercitado.
Aspectos nutricionais importantes:
1 – Refeição antes do exercício: Ajuda a manter os níveis de glicemia (energia) para os músculos envolvidos no exercício durante o treinamento e competição; evita a fome durante o exercício e melhora a performance.
2 – É importante nunca treinar em jejum;
3 – De preferência não ingira alimentos novos (nunca consumidos anteriormente);
4 – Faça uma refeição de 2 a 3 horas antes, priorizando carboidratos complexos: o consumo deve ser moderado de proteínas e pobre consumo em gorduras (frituras, carnes, queijos gordurosos e presunto por exemplo): digestão mais lenta podendo
causar desconforto gástrico e distenção abdominal;
5 – Hidratação durante o exercício: Evita a desidratação, a queda de performance e fornece energia para os músculos que estão sendo acionados no exercício. A correta hidratação visa a reposição de água e o balanço de eletrólitos (principalmente sódio e potássio). A reposição hídrica não se faz com volume e sim com frequência de ingestão de líquidos, portanto deve-se iniciar a hidratação bem antes do inicio do treino e/ou competição.
6 – A função da refeição após treino é o reabastecimento dos músculos para o próximo evento ou competição.
7 – Os músculos se recuperam mais facilmente durante os primeiros 30 minutos: Neste período se não conseguir ingerir alimentos sólidos ou se não houver disponível, procure beber 2 a 3 copos de soro caseiro ou de isotônico, ou se possível suco de frutas e barras energéticas.
8 – Faça refeições pequenas após 2 a 3 horas: consuma carboidratos, proteínas, frutas e continue se hidratando.
Boa alimentação, treinamento e descanso são a tríade para sucesso! Pense nisso!
Sugestão da Nutricionista Clique Aqui!

Claudia Safian
Nutricionista CRN2 8212

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s